Buscar
  • 3dprojectar

Tendências do mercado de arquitetura para 2018


Desde os seus primórdios, o mercado de arquitetura mudou bastante ao longo do tempo, especialmente no Brasil. Estar familiarizado com essas mudanças e ficar atualizado com as tendências que surgem ou se renovam a cada ano são algumas das missões de quem busca sucesso na área. Afinal, cada transformação é uma forma de adaptação — ou incentivo — às alterações na sociedade. 

Por isso, preparamos este artigo com informações sobre as principais modificações ocorridas recentemente, as novas áreas de atuação e os movimentos que estarão em alta neste ano. Boa leitura! 


Como o mercado de arquitetura vem evoluindo?

 

Segundo a CAU, uma das principais mudanças ocorridas recentemente na área de arquitetura foi o aumento da predominância feminina entre arquitetos e urbanistas até 40 anos, que já ultrapassa 60%. O número de profissionais pós-graduados também vem crescendo, mostrando que a busca por aperfeiçoamento constante está se tornando hábito na profissão.

O domínio de softwares de desenho e a participação constante em feiras, cursos, seminários e outros eventos da área passaram de diferencial a condição básica para os profissionais de arquitetura. 


A conexão com a tecnologia 


A facilidade de adaptação às inovações tecnológicas é um dos diferenciais que fazem da arquitetura uma profissão promissora em todas as épocas. Com a evolução da chamada “Internet das Coisas”, por exemplo, as residências precisam ser pensadas para uma integração cada vez mais intuitiva entre os espaços físicos e o universo digital.

Os softwares utilizados na área também acompanham a evolução da tecnologia, trazendo mais funções, versatilidade e potência a cada versão. A animação em 3D dos projetos e a utilização da realidade virtual nas apresentações já são práticas a que os arquitetos devem estar a par. 


Como se capacitar e expandir as áreas de atuação? 


Saber tomar boas decisões é cada vez mais essencial para se manter competitivo no mercado, conseguir mais oportunidades e alcançar metas. A primeira delas é no que diz respeito à capacitação, que deve desenvolver tanto habilidades específicas da arquitetura quanto captação de clientes e gestão de escritório.

Para ter o trabalho reconhecido e alcançar projetos maiores, é necessário ter uma combinação de conhecimentos capaz de agregar valor extra aos trabalhos entregues aos clientes — que estão mais exigentes a cada dia. 


Novos mercados na arquitetura 


O início da carreira pode ser bem difícil para os arquitetos brasileiros, pois os escritórios daqui não têm a prática de contratar associados júnior visando futuros sócios, como acontece em outros países. Por isso, os profissionais estão expandindo sua atuação para áreas como: 

  • aulas de apresentação de projeto para estudantes;

  • decoração; 

  • habitações sociais; 

  • projetos em cidades pequenas. 

Além disso, a abertura das próprias empresas tem sido o caminho escolhido por aqueles que preferem trabalhar em cima de ideias e ideais particulares para explorar projetos diferentes, como os mais voltados para a comunidade. 


Quais as tendências do mercado de arquitetura para 2018?


A criação de bons projetos está diretamente ligada à capacidade de atender às exigências dos clientes com criatividade e bom senso. Mais do que características individuais, as necessidades e desejos deles também variam de acordo com as novidades do mercado. 

Em consequência disso, ficar por dentro das tendências torna-se uma obrigação dos bons profissionais que, mesmo sem tempo, precisam pesquisar e se atualizar sobre o que está sendo mais utilizado nos projetos pelo mundo. Para 2018, alguns dos temas em evidência são: 


Construções pré-moldadas 


Estruturas previamente fabricadas e montadas no local da construção colocam de lado o conceito de projeto definitivo, diminuindo drasticamente a necessidade de grandes obras para a realização de reformas e expansões. Nesse modelo, é possível fazer a instalação de fundações e paredes sem afetar significativamente a rotina de quem mora ou trabalha no espaço a ser modificado. 


Decoração Retrô 


A estética característica do período entre as décadas de 50 e 70 ganhou espaço tanto nos projetos residenciais quanto corporativos. Nesses casos, o aspecto antigo não é sinônimo de ultrapassado, e sim de nostalgia.

Móveis clássicos, peças com aspecto laminado, ladrilhos hidráulicos, papel de parede e cores vibrantes são itens obrigatórios nesses projetos e devem ser usados com sensatez para não tornar o ambiente caricato. 


Estilo Industrial 


Construções com pé-direito alto e poucas divisórias remetem aos galpões industriais nova-iorquinos que deram origem aos lofts. A popularização de espaços com essas características também difundiu elementos visuais como vigas e encanamentos aparentes.

Para seguir essa tendência, o projeto também deve prever mobiliário com cores quentes, paredes e piso com aspecto de concreto, texturas como a de tijolos descascados e a utilização de arte urbana (graffiti) na ornamentação. 


Fun Design 


O humor e a cultura pop são elementos presentes no cotidiano dos jovens urbanos e isso se reflete na arquitetura e decoração dos ambientes frequentados e habitados por eles. Assim, há a necessidade de uma atualização do estilo contemporâneo, com o emprego de mais personalidade e irreverência aos espaços.

Detalhes divertidos, peças inusitadas, mensagens politizadas, quadros, pôsteres e estampas com mistura de cores fortes ajudam a tornar esses projetos mais ousados e atraentes. 


Otimização de espaços pequenos 


O crescimento populacional das cidades resulta em mais pessoas por metro quadrado, cabendo à arquitetura a tarefa de garantir a qualidade de vida das famílias em lares que se tornam menores a cada dia. A otimização desses espaços é feita a partir de projetos que adaptam pequenas áreas às necessidades dos moradores.

Menor número de divisão entre os cômodos e o aproveitamento máximo de cantos e paredes com móveis multinacionais são algumas das saídas utilizadas para compensar os ambientes mínimos. 


Serendipidade 


A aposta em descobertas feitas ao acaso combate a impessoalidade e falta de personalidade dos projetos. Com a aplicação dessa tendência, a originalidade é assegurada a partir da busca de materiais e objetos — entre os pertences da família e em vendas de usados — que possam ser reaproveitados para oferecer simplicidade e acolhimento. 

O objetivo da serendipidade é a criação de ambientes únicos a partir da união criativa e equilibrada de minimalismo, casualidade e delicadeza, unindo os conceitos de elegância e simplicidade. 


Sustentabilidade 


Mais do que uma tendência, projetos sustentáveis são uma necessidade para que a sociedade atual e suas próximas gerações consigam se desenvolver em comunhão com o planeta. Com as atuais previsões sobre a escassez de recursos naturais, a arquitetura voltada para projetos sustentáveis tende a crescer ainda mais nos próximos anos.

Adaptação de prédios antigos, edifícios que interagem com a paisagem causando o mínimo de interferência visual e construções ecológicas com redução do impacto ambiental e mais foco no bem-estar dos moradores são alguns exemplos da aplicação da sustentabilidade nos projetos arquitetônicos.  

Essa visão geral do mercado de arquitetura é um ótimo ponto de partida para a criação de projetos mais conectados com a atualidade. Acrescentando esse conhecimento às suas habilidades técnicas, você conseguirá atender seus clientes de forma diferenciada e ter seu trabalho reconhecido. 


Fonte: macdesign

0 visualização
CONTATO

São Paulo - Brasil 

Tel 55 11 9-9123-0572 / 3dprojectar@gmail.com

  • Cinza ícone do YouTube
  • White Instagram Icon

© 2018 Por 3D Projectar.